22 de dez de 2009

Dezembro

Dezembro é fim de calendário. Última folhinha solitária e resistente. É um mês estranho, que dá saudade do que passou, medo, ansiedade do que está por vir. Ainda que as perspectivas sejam boas, aparece um friozinho na barriga que indica: mais um ano inteirinho vem aí.
Dezembro é um pouco nostálgico. Ele é como um filminho sendo retrocedido na memória da gente. O que se perdeu, aproveitou, viveu...
Dezembro é uma pausa no meio de 11 meses. É reflexão para desfazer, corrigir, recomeçar, repensar e, há quem diga, é tornar-se mais solidário.
São 31 dias que temos para fazer uma autoanálise e recobrar as forças... Janeiro está logo ali... "o tempo não para".




(Sabrina Davanzo)

12 de dez de 2009

Amigos,

Se tem uma coisa que aprendi com a idade é que mesmo que saiamos da escola, faculdade, trabalho ou qualquer lugar coletivo que seja onde somos testados por todos conhecimentos que adiquirimos lá, nós estamos em plena avaliação.

Todos os dias somos avaliados pelas outras pessoas, de infinitas formas e inimagináveis versões. Viver sempre será um teste. Onde algumas vezes pode-se ser aprovado e em tantas outras não.

Por isso temos que tentar acertar na maioria das vezes, quanto mais acertos concerteza mais feliz, mais querido e principalmente, mais amado. E quanto mais erros cometer, mais desaprovação receberá, porém, há a possibilidade da recuperação. Do perdão, da compreensão, da mente aberta para novas descobertas e principalmente esquecer o medo de viver.

O medo de sentir os mais profundos sentimentos, os melhores e piores também. Pois somos humanos e no final das contas, todos os sentimentos que possuímos fazem parte de nossa natureza. Sentir amor é esplêndido, compreêndelo é magnífico, mas vivê-lo é para poucos. A raiva e o ódio também fazem parte, mas sentimentos ruins devem ser passageiros, muito tempo em nossos corações nos deixam amargos e infelizes.

A tristeza é talvez o sentimento mais complicado de se enfrentar com sucesso, poRque é preciso ser forte para levantar a cabeça, seguir em frente e ultrapassá-la. A tristeza é escolha. Você não escolhe que ela chegue, mas escolhe ficar com ela ou não. Se você não a quer, enfrente-a e ultrapasse-a.O medo do desconhecido é o pior dos sentimentos, pois te deixa sem reação, sem forças pra lutar. Sem perspectiva.

Por isso enfrente os desafios, expresse e explore seus sentimentos, sinta-os e aproveite cada momento de sua vida.

sinta o amor, viva o amor, e cultive-o por onde passar... Concerteza a natureza agradecerá dando-lhes mais energia e vibrações positivas atraindo para você mais felicidade. Plante o amor e concerteza colherá lindos frutos.

Viver é uma dádiva exploradas por poucos!


(Ariella Marques de Barros)

3 de dez de 2009

Sonhos ou Pesadelos

Acordei logo cedo, 6 da manhã, tive um sonho, ou poderia dizer pesadelo? Ou o fato de ter despertado do sonho é que me fez entrar no pesadelo? Acontece que existem sonhos, tão bons, que desconfiamos não ser real, e quando nos damos conta disso, a frustração é tão grande que parece o medo que sentimos num pesadelo. E quando acordamos, desejamos simplesmente não voltar a durmir.


Antes eu costumava querer fugir da realidade, era meu hobby favorito, RPG, cosplay, teatro, imaginação fértil. Sonhos como esses eram o que mais me desejavam querer dormir, continuar neles, permanecer até a vida terrena me chamar de volta. Acontece que mudei minha opniao sobre isso.

Despertei, por que me alimentar de sonhos sem movê-los nunca me fará chegar onde quero, provar da maça do éden sem poder comê-la é ser banido do paraíso sem aproveitar verdadeiramente o melhor que ele possui.

Acordei para cuidar de mim, de me preparar para enfrentar um dia de cão, para aprender, para malhar, para ganhar dinheiro, para ser um Leo persistente que corre atrás dos sonhos ao invés de fantasia-los. E que principalmente, me vejo como personagem principal da minha própria estória, sem mais necessidades de fantasias.

2 de dez de 2009

Presente.

Hoje eu tive um ótimo dia, enchi o VEM e fui para o banco, malhei pela primeira vez com o extensor que comprei, fora de academia e de casa sem precisar carregar qualquer tipo de peso, enquanto esperava uma fila gigante de banco, o que me lembrou a primeira vez que aproveitei a fila para ganhar tempo para outra coisa, na época, treinava malabares, entretenimento para mim e para os outros caras murchas e abusados que compartilhavam de um mau humor comum em uma fila indiana em busca ou se desfazendo do que os seres humanos mais dão valor.


Enquanto eu... jogava malabares e que hoje malho.

Sabe, as vezes sou tachado como sem noção, as vezes de fato sou (coisa que quero mudar)... mais as vezes, fugir do comum que atrasa, fugir do comum que te prende é uma saída que repercute na evolução, e com o tempo as coisas mudam.

Hoje me foi perguntado no banco por 4 pessoas onde comprei o extensor e se funcionava. Todos interessados pela falta de tempo que tinham para manter-se em forma. Expliquei com vontade e demonstrei os exercícios e o funcionamento do elástico, eles gostaram, e eles vão comprar, principalmente pela mixaria que foi e a utilidade cotidiana que reserva a eles.

Chegando no trabalho, sou surpreendido por um chefe de bom humor mesmo com meu atraso de 2 horas (para um estagio de 4 horas) me dizendo ter feito um ótimo trabalho e me dar uma belíssima noticia de que minha maquina havia recém adquiridas 2 gigas de memória RAM, agora ela tem memória, antes possuía apenas uma vaga lembrança.

Uma cliente chega para correção de um trabalho gráfico, ela sabe que é minha obrigação, mas me trás um chocolate como critério de desculpas, é por isso que gosto de trabalhar com mulheres, elas tem um A+ que homem nenhum consegue simular. Recebo a noticia que meu tablet de tela integrada e tamanho A4 já deve está sendo encaminhado para o correio e que uma amiga de outra área da secretaria havia me procurado.

Vou encontrar ela e recebo outro chocolate de presente. (gente eu amo chocolate, mulheres são telepatas) Ela pergunta o que vou fazer no final de semana e me chama para dançar no sábado, aparentemente ela quer me apresentar para a amiga solteira dela, mas estou fechado a manutenção, vou para dançar, vou para curtir, vou para esquecer o que meus sonhos sempre lembram, o que as horas vagas me relembram e o que eu quero reviver um dia.

E deixo o dia 16 no dia 16, e vou viver o presente mais um pouquinho, por que por enquanto estou feliz... dia 16 eu já não sei.

1 de dez de 2009

Complexo de Salgadinho


http://www.flickr.com/photos/nieger/

Tem dias que agente acorda meio murcho


Os sonhos murcham como maracujá velho

Mas a esperança já é um vicio entre nós.

Eu só quero andar com as meninas sem ser incomodado

Um aroma artificial

Estampando um sorriso crocante

E a pretensão intrigante, que tudo pode acabar bem afinal

Eu parei de fumar

Eu parei de fumar
E não sinto falta do cigarro
Do contrario, alguns outros vícios ruins voltaram
A saudade que sinto por ela não dissipa como a fumaça no lugar do fôlego fraco.
Agora resta garganta presa, dor de engasgado.
O cigarro me fazia morrer no presente e não viver no passado.
Na época parecia uma bóia idéia, morrer sem dor, não física, mais emocional.
Ingerir veneno industrializado me soou melhor idéia que ter o coração torturado por uma lembrança de amor perdido.
Acredito que todos os 47% de homens que fumam fazem isso por amor, falta de amor próprio, perda de amor, ausência de amor... dentro dele ou na vida dele.
E sem Amor só nos resta morrer ou fumar.
Eu decidi continuar amando e parei de fumar.
Ocorreu um erro neste gadget