22 de jan de 2010

Nova era




Não tem como não alimentar os pensamentos que nos vêem na cabeça em tempos como estão, o terremoto do Haiti, tsunamis nas ilhas do pacifico sul, na indonésia, o calor infernal que estamos enfrentando com as chuvas repentinas que surgem sem prévio aviso, podemos até considerar ataques terroristas nesse quesito de catástrofes eminentes pré-fim-do-mundo.

Voltando para nosso cantinho no hemisfério sul, entre o oceano pacífico e atlântico lugar de residência aceitável, cheio de fauna flora e livre de catástrofes. Não é a toa que se diz por aí que Deus é brasileiro.

Se você tem mente fechada e propensa a discussões com fundamentos errôneos baseados em crenças fixas e imutáveis, recomendo que pare de ler agora!

Se ainda está ai lendo ótimo, esse tipo de leitor que espero para o restante desse artigo!

Sobre deus ser brasileiro, não podemos mais afirmar isso como a mesma certeza de antes, acontecimentos como vem acontecendo ao mundo alimenta certo receio de que os nossos antepassados Maias tivessem razão, e a argumentação astrofísica de alinhamento planetário, astrológica e a forma como bate com os quesitos de fim do mundo de outras religiões é algo realmente preocupante, Uns alimentam medo desse dia e outros não estão nem ai depois que o ano 2000 passou sem o fim.

É Estranho como as pessoas dão mais valor ao calendário gregoriano quando na escola estudam o mesmo e sabem das alterações por puro ego do calendário com a inclusão do mês de agosto e julho por causa dos Césars (ou acharam que era coincidência o Mês de dezembro, outubro e novembro terem relações com os números?) e ainda assim põem fé no mesmo e na bíblia, livro Transcrito a mão exclusivamente por pessoas que através da religião manipularam a populações por milhares de anos até os dias de hoje alem de provocar guerras em seu nome? (muita inocência achar que as ‘palavras de deus’ nunca foram reinterpretadas por cada escrivão não?)

No fim das contas, o que quero dizer é que o mundo vai acabar?

Não. Muito longe disso.

O mundo está passando por uma fase de transformação, em vários pontos distintos que se tornam um único. Estamos passando para a 4ª dimensão, onde diferente do que acreditavam não se trata do tempo, se trata de um mundo sem amarras singulares, passamos a ter consciência do coletivo, temos consciência que a realidade existe em freqüências, e através desse pensamento, compreendemos a existência dos espíritos até dos extra-terrestres.

Temos que queimar o karma negativo que nos resta para estarmos perto preparados para o próximo passo. E o planeta-cometa Hercóbulos será o responsável por essa cura em massa de karma do planeta. Segundo algumas teorias, Hercólobus é descrito como um astro seis vezes maior que o planeta Júpiter, o maior planeta do sistema solar. Ele se move numa órbita achatada, que a cada 3.600.000 anos passa pela Terra, arrastando com ele tudo que encontra. Por seu tamanho colossal, Hercólobus gera um campo gravitacional altíssimo. Assim, mesmo sem colidir com nosso planeta e mesmo estando a 500 mil quilômetros de distância, sua presença causará problemas sérios para o planeta .

Tal aproximação o fará refletir a luz do sol, fazendo-o ser visto como um “segundo sol” durante sete dias em diversas partes do mundo, em pleno meio-dia. (alguém lembra de uma musica de Cássia Eller?) Segundo interpretações das profecias e cálculos astronômicos, a mera entrada de Hercólobus no sistema solar causará um tsunami (uma onda gigantesca no mar, que alcançará cerca de cinco quilômetros de altura), além de movimentos tectônicos e terremotos, devidos à vibração e à energia que se produzirá pela atração de Hercólobus sobre a Lua. A rotação dos eixos da Terra será acelerada violentamente.

Stalin dizia: "A morte de uma pessoa é uma tragédia; a de milhões, uma estatística."
Uma visão militar e com complexo de superioridade indiscutível, mas para uma pessoa desenvolvida espiritualmente podemos reescrever essa frase:

A morte de uma pessoa é uma tragédia; a de milhões, uma transformação.

Nascer no Haiti, sofrer com doenças negligenciadas, pobreza, falta de alimentação e morrer num terremoto, sem duvida limpa uma boa parcela de karma negativo de vidas passadas.

E deixar a vida ao lado dos familiares é um crédito que poucos têm direito, o sofrimento na terra é menor, passar para o outro lado ao lado da família é um bem e no fim, os que ficaram, encontraram na lágrima de outros lutos, novas famílias, finalmente compreendendo que todos no mundo são irmãos e desse grande mau, acabaram por encontrar um verdadeiro bem, onde apenas a solidariedade da aproximação da morte e da perda de tudo pode dar.

O que tiver de acontecer ao mundo, acontecerá, pouco podemos fazer para mudar. Só é importante que estejamos a par de tudo e saber que existirá aproveitadores nesse momento mais difícil para a humanidade e sabermos que o melhor remédio para esse momento é a solidariedade com o próximo. As vitimas agora são os haitianos, vamos ajuda-los enquanto ainda temos chance de ajudar, lembrem-se que o que estão passando agora pode ser o que passaremos daqui a algum tempo.

Richard Bach diz: “Não se lamente pelas perdas. Elas são necessárias para voltar a se encontrar...”

E lembrem-se, 2012 é o que diz o calendário gregoriano não vamos nos ater a datas, e sim a eras, estamos perto do FIM de uma ERA e NÃO o FIM DO MUNDO estamos saindo da era de peixes para a era de aquário, nada muda da noite para o dia, as coisas vão mudando gradualmente e o que tem de acontecer já está acontecendo.

Se Deus é brasileiro?! Ele é! só está mudando a posição dos sofás.

Um comentário:

  1. Parece ate ironico ou ate comico, mas o fato de falar "eh o fim do mundo" eh um pensamento bem egoista por parte dos seres humanos.

    Vamos aos fatos. O mundo nunca vai se acabar! apenas vai se reciclar! dinossauro vem dinossauro vai! humanos vem humanos vao! baratas here we go! e nesse vai e vem... rotacao e translacao.

    doom

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget